Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 PUERIL - TODOS OS ARQUIVOS
 BOL - E-mail grátis
 UOL - O melhor conteúdo
 Ivam Cabral
 Laerte Késsimos
 Audrey Furlanetto
  Ivana Arruda Leite
 Rodolfo García Vazquez
 Os Satyros
 Roberto Moreno
 Alberto Guzik
 Mário Bortolotto
 Fernanda D'Umbra
 Madame Voilà
 Sergio Roveri
 Márcia Carvalhaes
 Carol
 Erika Riedel
 Rui Germano
 Phedra D. Córdoba
 Teatro Para Alguem
 Maria Clara
 Jarbas Capusso Filho
 Chacal
 César Ribeiro
 Ana Rüsche
 http://www.ydeal.com.br/
 Diniz
 Paulo Vereda
 Marcelo Ariel
 Dyl Pires
 Revista Bacante
 adote um gatinho
 Ruy Filho
 Santiago Nazarian
 Fransérgio Araújo
 Carolina Angrisani
 Tom Zé
 Sérgio Sálvia Coelho
 Cacilda
 Peu Ramos
 Isabella
 Otávio Martins
 Blog dos Parlapatões
 Liniers
 Domingos Oliveira
 Kity
 Martha Nowill
 Caderno Teatral
 Mário Viana
 Viva Mulher
 Hipopótamo Zeno
 Pensando pra Esquerda
 Átila Oliveira




Pueril
 


Cotidiano

Minha mãe ta triste porque morreu o pé de alecrim.
e chateada porque fez uma toalha linda de crochê pro padre colocar
na mesa do altar na missa do galo e outra senhora invejosa... ficou sabendo
e fez outra toalha! com sinos pintados e bordados. agora o padre vai usar
a toalha da Antonia... e a da minha mãe vai ter que ficar pra ressurreição de
Cristo.
de manhã, passa um carro com auto-falante anunciando todo tipo de coisa,
o horário da missa, o horário do lixo que mudou, as ofertas do mercado...
minha priminha tem 4 anos e alguns problemas de saúde, precisou ficar dois
dias sem comer pra fazer exames. ta magrinha, fraca, brinca de desmaiar.
hoje me acordou:
- Kéu, vc ta cansada?
- to sim, Ana Julia
- eu também, to muito cansada, mas tinha saudades de você.
daí brincamos e ela ri e enche tudo de calma. 
eu fico aqui lembrando dos meus fantasmas nesse quarto, dos barulhos de
raposas no forro de madrugada. queria tanto que meus fantasmas ainda fossem
os mesmos... tanto...



Escrito por Cléo De Páris às 15h42
[] [envie esta mensagem
] []





Aqui


Ana Julia ouve os mesmos discos de historinhas que eu ouvia!


Ana Julia brinca e eu me divirto

Feliz Natal!!!!!!!!!!!!



Escrito por Cléo De Páris às 13h53
[] [envie esta mensagem
] []





Waldo e Tereza

Outro dia fui no dentista, tinha lançamento do livro dos Satyros e meu cabelo tava
todo despontado. na hora que saí vi um salãozinho bem ao lado, tipo salão de cidade
do interior, bagunçado e cheio de coisas velhas e revistas jogadas pra todo canto.
"Tereza Cabeleira Unissex". entrei. a Tereza veio me receber, uma mulher de certa idade,
bonita, loira, cabelos longos, jeans e camisa branca, brincos chamativos.
- oi, eu queria cortar o cabelo
- como você quer?
- só as pontinhas.
- ta bom, vamos lavar
- mas só as pontinhas mesmo, eu faço teatro, na peça preciso usar uma trança...
- tudo bem
- você garante que corta só as pontinhas?
- garanto. eu perdi um grande amor porque cortaram o meu cabelo demais, faz tempo.
depois virei cabelereira e só corto o que as pessoas pedem.
daí entrou no salão a filha da Tereza, uma adolescente linda, toda alvoroçada  e disse:
"ah, mãe, de novo essa história! esse cara não gostava de você, já falei, imagina,
terminar um noivado por causa do cabelo! cabelo cresce!"
Tereza ficou em absoluto silêncio, lavou meu cabelo e cortou só as pontinhas. no final,
quando eu saía, cantarolou uma canção antiga.

                                                *********************

Conheço o Waldo há uns 8 anos, cabelereiro de mão cheia, corta em segundos,
quase sem olhar e fica lindo. simpático, tímido, carinhoso. quando a gente se conheceu
eu tinha mudado pra São Paulo e fazia de um tudo pra pagar o aluguel da kitinete nojenta
no viaduto nove de julho. fazia recepções em coquetéis na Bovespa com um tailler vermelho,
fazia seleção de frases de concuso, fazia degustação de produtos... daí eu consegui um
trampo ótimo, pagava bem e era perto de casa: degustação de maionese Hellmann's no TBC,
antes de uma peça que tinha umas figuras famosas e um texto engraçadinho classe média.
o Waldo era o cabelereiro delas, toda noite ia la pra arrumar as estrelas. eu passava por eles,
dava boa noite, algumas delas nem me viam e se me vissem diziam: "oi, mocinha Hellmann's" ou
"mocinha Hellmann's, você pode chamar tal pessoa pra mim?" mas o Waldo foi sempre simpático
comigo do mesmo jeito que era com elas e me chamava de Cléo. um dia ele disse: "esse seu
cabelo não ta com nada, parece uma evangélica, eu vou cuidar de você." e ele me deixou linda
e desde então, é o meu cabelereiro preferido e mais amado! e é desses caras que tem garra,
que cai e levanta, que ja teve sócios safados que deram calote nele e sempre consegue se
reerguer, ele é uma pessoa boa. fiquei um tempão sem ir la e fui anteontem. levei chocolates,
conversamos um pouquinho, ele me apresentou pra umas madames dizendo que sou uma
grande atriz, cortou meu cabelo. daí eu falei:
- Waldo, eu quero pagar
- imagina! nem pense nisso.
- mas Waldo, você sempre cortou meu cabelo de graça, quando eu não tinha dinheiro quase
pra pegar o ônibus e vir aqui, agora eu tenho um emprego, as coisas mudaram pra mim
- mas eu não mudei. quando você voltar, vamos fazer umas luzes e hidratar esse cabelo.
adorei os chocolates, você tá linda!
e eu saí na chuva cantarolando uma canção antiga.



Escrito por Cléo De Páris às 20h42
[] [envie esta mensagem
] []





A música mais linda do mundo nessa semana

O Que é Que Há

Fábio Jr.

Composição: Fabio Jr. / Sergio Sá

O que é que há?
O que é que tá
Se passando
Com essa cabeça?

O que é que há?
O que é que tá
Me faltando prá que
Eu te conheça melhor?

Prá que eu te receba
Sem choque
Prá que eu te perceba
No toque das mãos
O teu coração...

O que é que há?
Porque é que há
Tanto tempo
Você não procura
Meu ombro?
Porque será?

Porque será?
Que esse fogo
Não queima
O que tem prá queimar?
Que a gente não ama
O que tem prá se amar
Que o sol tá se pondo
E a gente não larga
Essa angústia do olhar
Há! Haaaá!...

Telefona!
Não deixa que eu fuja
Me ocupa os espaços vazios
Me arranca dessa ansiedade
Me acolhe, me acalma
Em teus braços macios
Macios!...

O que é que há?
O que é que tá
Se passando
Com a minha cabeça?
Não, eu não sei, não!
O que é que há?...

Telefona!
Não deixa que eu fuja
Me ocupa os espaços vazios
Me arranca dessa ansiedade
Me acolhe, me acalma
Em teus braços macios
Macios!...

O que é que há?
O que é que há?
O que é que há?...



Escrito por Cléo De Páris às 15h17
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]